Brasília, 21 de abril de 2019 às 23:06
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 12/12/2015 8:41

3.400 radicais morreram em ofensiva militar no Paquistão

.

Islamabad, (Prensa Latina) 3.400 extremistas islâmicos morreram durante a ofensiva que desenvolve o exército paquistanês desde junho de 2014 nas zonas tribais limítrofes com o Afeganistão, revelou hoje a instituição militar.

A espinha dorsal dos terroristas foi rompida, escreveu no Twitter o general Asim Bajwa, diretor do Serviço de Relações Públicas desse corpo.

Bajwa afirmou que muitas células sobrevivem e a infraestrutura principais dos grupos armados, em especial do movimento Talibã, foram desmanteladas depois do início da ofensiva Zarb-e-Azb (em urdu, ataque agudo e cortante).

Pelo fato do avanço militar, a segurança melhorou no país, considerou o militar.

Nesse sentido, precisou que 837 esconderijos dos insurgentes foram destruídos em 18 meses no em tanto as autoridades prenderam a outros 1.192 insurgentes.

As forças armadas também pagaram um alto preço com a morte de 488 oficiais e soldados enquanto outros 1.914 ficaram feridos, detalhou o general.

A ofensiva foi uma resposta ao rompimento das negociações por parte do Tehrik-e-Taliban Paquistão e seu posterior ataque contra o aeroporto internacional Jinnah da cidade de Karachi, que deixou 28 mortos e 18 feridos.

Mais tarde intensificou-se depois que em meados de dezembro um comando do TTP assaltasse uma escola gerenciada por militares na cidade de Peshawar, e assassinasse a 149 pessoas, a maioria crianças e adolescentes, o pior ataque a uma instalação civil em toda a história do país.

Comentários: