Brasília, 23 de maio de 2018 às 19:04
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 29/01/2018 11:06

Aplicativo de fitness revela localização de bases secretas dos EUA

.


Warning: Illegal string offset 'filter' in /home1/patri590/public_html/patrialatina.com.br/wp-includes/taxonomy.php on line 1372
Share Button
© AFP 2018/ Cristina Quicler

Especialistas encontraram no mapa do aplicativo Strava bases militares de vários países, inclusive dos EUA. O deslocamento de soldados foi revelado pelos rastreadores de fitness e aplicativos para celular, comunicou a edição The Verge.

Em novembro do ano passado, o aplicativo de fitness Strava, que permite aos usuários monitorar a distância percorrida por meio de satélites, publicou um mapa com informações sobre o deslocamento dos donos de milhões de aparelhos.A atenção de vários internautas foi atraída para uma atividade incomum nas áreas de ações de combate, incluindo no Afeganistão e na Síria. Naquelas zonas, situadas longe de zonas urbanas e outros lugares onde pessoas podem utilizar rastreadores de fitness, os internautas encontraram rotas cíclicas, que aparentemente são utilizados pelos patrulhamentos militares.

“Strava publicou um mapa global […] É bonito, mas representa um problema para a confidencialidade das operações. As bases dos EUA são fáceis de serem identificadas e mapeadas”, escreveu Nathan Ruser.

“A base aérea norte-americana foi construída em 2016, perto do povoado de Sabit, 35 km ao sul de Kobani, para apoiar as operações das Forças Democráticas da Síria contra o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]”, observou Mr Ghostly.

“Estes os postos à volta de Mossul (ou então são locais onde os locais correm em círculos à volta de suas casas)”, ironizou Tobias Schneider.

Os usuários indicam que as bases dos EUA são as mais visíveis do mapa. Além disso, também é visível a atividade de militares, possivelmente russos e turcos, na Síria.

Um representante do Pentágono comunicou à Sputnik que o Departamento de Defesa dos EUA está estudando a situação e, caso seja necessário, vai tomar medidas adicionais para garantir a segurança dos efetivos dentro e fora do país.

Comentários: