Brasília, 8 de março de 2017 às 13:05
Selecione o Idioma:

Silas Correa Leite

Postado em 26/12/2016 7:28

Balada de Adeus para a amiga virtual do Facebook que se Foi

.

Share Button
a-alaide
Nênia em Homenagem
Temam menos a morte e mais a vida insuficiente

Bertold Brecht

Para Alair Barbosa Thereza  – 22.12.2016 – Bauru-SP

A Amiga Alair que se foi
Deixou a despedida em página final aberta no Facebook
Grito aberto, véspera de Natal
Dizendo da sua solidão-ferida-aberta
Da família, do filho, da esperança morta…
A amiga virtual Alair
Tantas vezes nas trincheiras conosco
Entre palavras, frases, gritos de coragem; mensagens
E depois o fim tão trágico
Foi-se embora a amiga,
ferida dessa dor de descrédito.
A vida pífia
O país enlutado
E a amiga virtual não suportou
Não com sua sensibilidade…
Não a amparamos o suficiente?
(Não há vida o suficiente)
Não há mais nem esperança limpa para os excluídos sociais
A amiga virtual Alair se foi
E estamos todos perplexos;  de alguma forma rendidos
A utopia apagou a sua chama
E nós, covardes, sobrevivemos, aceitando, submissos
Mas os fortes nos dão bandeiras de lições:
-Morrem em nosso nome, em nosso lugar, por nós
Ainda que a esperança esteja de luto.
Estamos sozinhos nas trincheiras?
Não, Alair agora está conosco, na nossa lágrima mais profunda
Viva a morte? Viva a luta!
Alair viverá no nosso grito de desespero e dor
Somado à revolta do que fizeram com o sonho de inclusão social
(Morremos todos nós)
Mas não há paz na dor
Estamos de luto, mas estamos na guerra.
Continuamos
Por ela, Alair Barbosa Thereza
A nossa dor; a nossa trincheira nessa tristeza!
Alair vive em nós!
A luta continua. Pelo povo, para o povo, agora por Alair!
-0-
Silas Corrêa Leite
Itararé-SP

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *