Brasília, 24 de maio de 2019 às 00:20
Selecione o Idioma:

Papo do Dia:

Economia

Postado em 17/04/2019 10:15

Bloqueio de dinheiro venezuelano em Portugal evidencia ‘um mundo sem lei’

.

© AFP 2019 / PATRICIA DE MELO MOREIRA
AMÉRICAS

A retenção em Portugal de mais de US$1,7 bilhões da Venezuela é a demonstração de que “estamos vivendo em um mundo sem lei”, disse o analista internacional Sergio Rodríguez Gelfenstein à Sputnik.

Através de uma rede de rádio e televisão, o presidente venezuelano Nicolás Maduro afirmou que um banco português congelou uma conta bancária com US$ 1,72 bi que o governo usaria para comprar medicamentos e alimentos. “Estou pedindo ao governo de Portugal para liberar os recursos. Por que eles estão tirando esse dinheiro de nós?” questionou Maduro.

Para Sergio Rodríguez Gelfenstein, a decisão de Portugal é influenciada pelos EUA, que “dirigem todas as operações contra a Venezuela” e buscam isolar o país por meio de “ameaças”.Como exemplo, Gelfenstein apontou a decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, de revogar o visto da procuradora do Tribunal Penal Internacional (TPI) Fatou Bensouda, a multa de US$1,3 bi imposta ao banco italiano Unicredit por realizar operações com Cuba e a detenção “ilegal” em Londres do fundador do Wikileaks, Julian Assange.

“Todo o direito internacional está desmoronando e as Nações Unidas estão perdendo força”, disse ele. “É o desaparecimento do direito internacional, retornaremos a um sistema em que prevalece a lei do mais forte, sem qualquer contrapeso a qualquer contratempo que os EUA possam fazer em qualquer parte do mundo”.

O analista destacou que o governo da Venezuela mostra que “os Estados Unidos ameaçaram metade do mundo”, construindo “um estado de terror”. Além disso, ele ressaltou que a retenção de dinheiro é um “ato artístico”, porque “de um momento para outro [a Venezuela] descobriu que não podia usá-lo”.

Sputnik

Comentários: