Brasília, 24 de novembro de 2017 às 04:32
Selecione o Idioma:

África

Postado em 23/09/2017 3:33

Camarões aborda ameaça do terrorismo na Assembleia Geral da ONU

.

Share Button
 Nações Unidas, (Prensa Latina) O presidente dos Camarões, Paul Biya, abordou hoje no debate de alto nível da Assembleia Geral da ONU a ameaça que o terrorismo representa para seu país e o mundo.
‘Para meu país, a paz é a chave para a sobrevivência humana e o desenvolvimento sustentável, mas a mesma está sob a ameaça de terrorismo’, afirmou no quarto dia do fórum, que acontece aqui até 25 de setembro.
De acordo com o presidente, do terrível flagelo não escapa nenhum continente e suas atrocidades são, lamentavelmente, notícias diárias.
Biya referiu-se em particular ao perigo que Camarões enfrenta pela ação do Boko Haram na região da Bacia do Lago Chade, onde os islamistas são responsáveis por milhares de mortes, sequestros, uso de crianças soldados e deslocamento forçado de mais de dois milhões de pessoas.
O Boko Haram muda de maneira constante seus métodos e tácticas de ataque, o que complica o desafio, advertiu.
O presidente cameronês reconheceu a cooperação regional para combater a seita terrorista, mas destacou que sua derrota passa por uma maior mobilização de forças.
Os jihadistas estão matando nossa gente, nossas comunidades, nossa independência e nossa democracia, sublinhou.
Segundo Biya, seu governo espera com muito interesse a chegada à Bacia do Lago Chade de uma missão de alto nível da ONU, a partir do mandado do Conselho de Segurança, em particular de sua resolução 2349.
Em seu pronunciamento na Assembleia Geral, o chefe de Estado também mencionou os desafios da luta contra a pobreza, os conflitos e as afetações climáticas, no caminho para avançar para o desenvolvimento sustentável e a inclusão, promovidos pela Agenda 2030

Comentários: