Brasília, 26 de junho de 2017 às 13:59
Selecione o Idioma:

Oriente Médio

Postado em 17/06/2017 6:11

Casa Branca insiste em aumentar atividade militar na Síria

.

Share Button
© AFP 2017/ AHMAD AL-RUBAYE
Dois altos funcionários da Casa Branca insistem no aumento da atividade militar na Síria, no entanto, o chefe do Pentágono é contra.

De acordo com a edição Foreign Policy, o diretor da Segurança Nacional da Casa Branca, Ezra Cohen-Watnik, e o conselheiro da Segurança Nacional para assuntos da Síria, Derek Harvei, querem que EUA passem à ofensiva na direção sul, mas o secretário da Defesa, James Mattis, rejeitou a proposta.

Mattis, bem como alguns outros responsáveis da Casa Branca e representantes do comando militar, considera que este “passo arriscado” levará os EUA a “uma confrontação perigosa com o Irã” e pode resultar em ataques contra os militares americanos deslocados no Iraque e Síria.

O chefe do Pentágono, o representante dos EUA na coalizão contra o Daesh (grupo terrorista, proibido na Rússia), Brett McGurk, e o chefe dos estados-maiores das Forças Armadas americanas, Joseph Dunford, defendem que o país deve se focar na expulsão dos jihadistas dos seus baluartes, inclusive de Raqqa.

Anteriormente havia sido informado que os militares norte-americanos deslocaram dois lançadores múltiplos de foguetes (LMF) HIMARS da Jordânia para a base de Al-Tanf, no sul da Síria.

A coalizão internacional liderada pelos EUA está realizando uma operação militar na Síria contra os militantes do grupo Daesh desde 2014. Mas a coalizão está atuando sem autorização do governo legítimo do país.

 Sputnik

Comentários: