Brasília, 21 de abril de 2019 às 11:24
Selecione o Idioma:

Bolívia

Postado em 07/05/2016 1:00

Evo Morales: o povo está acima das diferenças ideológicas

.

La Paz, (Prensa Latina) As pessoas têm o direito de discrepar ideologicamente, expressar o que pensam e sentem em questões políticas, mas a missão do governo é seguir trabalhando para o povo, afirmou hoje o presidente da Bolívia, Evo Morales.

Depois de entregar um coliseu no departamento de Potosí, Morales reiterou que a mentira se impôs no referendo do 21 de fevereiro, pelo que a direita não triunfou, como alguns dizem.

Os bolivianos foram nessa data às urnas para aprovar ou recusar a modificação parcial da Constituição Política do Estado, que habilitaria ou não a Morales e ao vice-presidente Álvaro García Linera para as eleições gerais de 2019.

Que existam cidadãos com diferenças políticas é todo um direito, alguns podem ser anticapitalistas e outros pro-imperialistas mas à margem de qualquer postura ideológica e o ocorrido no referendo seguiremos trabalhando pelo povo, enfatizou Morales.

Uma vez que termine qualquer consulta deve-se virar a página e continuar a obra do processo de mudança iniciado em 2006, disse o estadista.

A derrota chama-nos a todos -em especial aos movimentos sociais- à reflexão e o debate, indicou Morales.

Sobre o desenvolvimento atingido pelo país, o Chefe de Estado recordou que graças à nacionalização dos hidrocarburos hoje a economia mostra uma notável melhoria, e podem ser levados a cabo grandes projetos de infraestrutura e industrialização.

Ao chegar ao poder em 2006 as reservas internacionais estavam em mil 700 milhões de dólares, e com nosso governo, já em 2014 contávamos com 15 bilhões de dólares, precisou o dignatário da nação sul-americana.

O Produto Interno Bruto em igual período era de nove bilhões de dólares e chegamos a 34 bilhões de dólares, pontualizou.

A renda petroleira durante os 20 anos foi de quatro mil 500 milhões de dólares e em 10 anos de Revolução Democrática Cultural atingimos 31 mil 500 milhões de dólares, destacou Morales.

Comentários: