Brasília, 19 de outubro de 2017 às 04:29
Selecione o Idioma:

África

Postado em 23/09/2017 3:31

FAO vê potencial na agricultura frente a desemprego juvenil na África

.


Warning: Illegal string offset 'filter' in /home1/patri590/public_html/patrialatina.com.br/wp-includes/taxonomy.php on line 1372
Share Button
 Roma, (Prensa Latina) As atividades agrícolas e alheias ao setor no meio rural têm um potencial ainda não explorado para gerar oportunidades de emprego para a crescente população juvenil da África, sublinhou hoje a FAO.
A população africana é a mais jovem, a que cresce mais rapidamente no mundo, e estima-se que duplique em 2050. Este crescimento demográfico tem um grande impacto no mercado de trabalho, divulgou em seu site a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).
Ainda que a cada ano incorporam-se à população ativa nesse continente entre 10 e 12 milhões de jovens, são criados somente três milhões de empregos anuais.
Neste contexto, o setor agrícola junto às atividades rurais não agrícolas -como o turismo, as agroindústrias ou o armazenamento e transporte de alimentos- têm um grande potencial para criar mais e melhores empregos e fortalecer as comunidades rurais, considerou a Organização.
‘Investir na transformação rural e conseguir um mundo sem fome nem desnutrição deve ser de mãos unidas. Promover uma melhor educação, o desenvolvimento de competências e o emprego decente são vitais para esta transformação na África’, afirmou o diretor geral da FAO, José Graziano da Silva, durante um fórum de alto nível realizado em paralelo com a Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque.
Também é essencial -acrescentou- adotar um enfoque territorial centrado em fortalecer os vínculos físicos, econômicos, sociais e políticos entre os pequenos centros urbanos e suas zonas rurais.
Não esqueçamos que as pequenas e médias cidades são lugares nos quais os camponeses compram sementes, levam seus filhos à escola e recebem atenção médica, disse.
Para a Organização, os jovens podem ajudar seus países a avançar no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e atuarem como agentes inovadores e facilitadores de vínculos entre as zonas rurais e urbanas.

Comentários: