Brasília, 22 de maio de 2019 às 01:41
Selecione o Idioma:

África

Postado em 13/03/2019 8:20

Fortes chuvas provocaram dezenas de mortos e milhares de desalojados em Moçambique

.

© AP Photo / Ferhat Momade

Ao menos 66 pessoas morreram e outras 141.000 foram afetadas pelas fortes chuvas que inundaram a região central e nordeste do país.

Perante a situação, o governo solicitou fundos para poder gerir a crise.

“O Conselho de Ministros decretou um alerta vermelho devido às contínuas chuvas e à aproximação do ciclone tropical Idai, que deve atingir o país entre quinta-feira (14) e sexta-feira (15)”, afirmou a porta-voz do gabinete, Ana Comoana.

Além disso, Ana Comoana observou que o Idai é um temporal «intenso» acompanhado de fortes ventos e trovoadas, que pode gerar um elevado risco para pessoas e bens, e que requer medidas de acompanhamento, além da «cautela», conforme o portal tvi24.

As inundações que atingiram o país mais pobre da África já destruíram em torno de 5.756 casas, tendo afetado 141.325 pessoas. Além disso, 111 pessoas ficaram feridas, 18 hospitais e 938 salas de aula foram destruídos, afetando 9.763 estudantes.Mais de 168.000 hectares de plantações também foram destruídos pelas inundações.

As autoridades já ordenaram a evacuação das pessoas das aéreas propensas a inundações para evitar maiores danos ou riscos.

Segundo a ONU, mais de 17 mil pessoas foram evacuadas de suas casas e transferidas para a região central do país. Além disso, segundo os serviços meteorológicos, nos próximos dias, o vento deve atingir uma velocidade entre 188 e 220 quilômetros por hora.

De acordo com a porta-voz do Conselho de Ministros, o ciclone poderá afetar 80 mil famílias, e por isso será necessário um fundo de 1,1 milhões de meticais (R$ 61 milhões) para auxiliar as vítimas.

Sputnik

Comentários: