Brasília, 21 de abril de 2019 às 12:04
Selecione o Idioma:

Colunistas

Postado em 13/04/2019 10:07

Impostos: Quem vive de renda paga menos e quem vive do trabalho paga mais

.

Alyne Bautista

O que é necessário fazer é voltar a tributar juros e dividendos e tributar as grandes fortunas.

“A tributação pelo consumo é a pior forma de tributação. É a que chamam de IVA, seria sobre todos os tipos de serviços e sobre o consumo. Beneficia os mais ricos e prejudica imensamente a classe média e os mais pobres.

Hoje o ICMS está em torno de 18%, com a mudança de tributo sobre renda para o consumo esse tributo iria para 34%.

Os menos ricos consomem 100% de sua renda, já os mais ricos guardam uma parte.

No período de FHC os mais ricos conseguiram isenção sobre lucros e dividendos, ou seja, quem vive de renda paga bem menos impostos do que quem vive do trabalho e dá seu suor por esse país.

Nós somos o paraíso fiscal para quem não trabalha, no mundo inteiro. Ganhar juro emprestando para o governo aqui no Brasil é muito fácil. Mas esse dinheiro TEM que vir de algum lugar: ele vem dos nossos impostos.

50% de todo o imposto arrecadado no país vai para pagamento de juros desses empréstimos particulares ao governo.

Essa proposta do governo só serve para aumentar ainda mais a desigualdade no país.

O que é necessário fazer é voltar a tributar juros e dividendos e tributar as grandes fortunas.

Estão querendo acabar também com a base de sustentação da previdência social que é o PIS e o COFINS.

Através de financiamento de campanhas os ricos vão mudando as leis para se beneficiar e vão aumentando o fosso da desigualdade social no Brasil. Por isso é tão importante a educação fiscal cidadã: as pessoas não têm condições de discernir o que os candidatos propõem e os governos fazem. Não há possibilidade real de escolha sem o entendimento do que se propõe.

O IPVA por exemplo, que é um imposto estadual para todo tipo de veículo automotor, em alguns estados só é cobrado dos pequenos veículos da classe média e pobre como barquinhos de pesca; as lanchas e jatos particulares conseguiram isenção com lobbies e financiamento de candidatos.

O financiamento de pessoas para cargos políticos é uma grande “economia” para os muito ricos, as leis que conseguem aprovar fazem retornar todo o “investimento” e muito mais. Tudo isso só é possível por causa do desconhecimento das pessoas. É bastante hermética para a maioria das pessoas a linguagem econômica e como funcionam as forças de poder no mundo. Mesmo porque é a lei que determina o que se vai aprender na escola. Esses “mais ricos” não são os profissionais liberais como muitos pensam. São os banqueiros e grande aplicadores do mercado, onde a exploração do trabalho de TODOS rende lucros para esses jogadores que não se importam com a natureza, a vida humana ou qualquer outra coisa que não seja o aumento de seu dinheiro ainda que nunca consigam utilizá-lo salvo para manipular a bolsa e a política mundial.

Teto dos gastos, reforma trabalhista, reforma da previdência e reforma tributária são partes de um acordão para reverter os benefícios que o período anterior, de governo popular, trouxe para a população brasileira. Esse acordão contempla aumentar a diferença ente os 10% mais ricos e o restante dos 90% da população onde TODOS os servidores públicos se incluem, inclusive juízes, procuradores, promotores públicos E militares, além dos profissionais liberais como médicos, farmacêuticos, advogados, por mais que alguns se achem fora disso e acreditem que estão salvando a própria pele.

Comentários: