Brasília, 15 de dezembro de 2017 às 17:32
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 29/11/2017 4:01

Kim Jong-un: Coreia do Norte concluiu desenvolvimento de armamento nuclear

.

Share Button
© REUTERS/ Kim Hong-Ji

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, acompanhou de perto o lançamento noturno do míssil balístico intercontinental (ICBM na sigla em inglês), o Hwasong-15, segundo informa televisão estatal norte-coreana.

“Ao observar de perto o teste do ICBM Hwasong-15, o companheiro Kim-Jong-un o avaliou muito positivamente, declarando que hoje foi alcançado um êxito histórico em meio à conclusão do desenvolvimento do armamento nuclear do governo”, de acordo com o comunicado, divulgado pela televisão.

No pronunciamento realizado na televisão estatal, norte-coreanos afirmaram que o teste do míssil balístico, disparado na terça-feira (28), foi um sucesso e que ele pode atingir “todo o continente dos Estados Unidos”.De acordo com os norte-coreanos, o projétil percorreu 950 quilômetros em 53 minutos e atingiu uma altitude de 4.475 quilômetros, caindo na zona econômica exclusiva do Japão, mais especificamente a 250 km da prefeitura de Aomori.

No entanto, o Comando de Defesa do Espaço Aéreo da América do Norte (Norad) “determinou que o lançamento do míssil da Coreia do Norte não representou ameaça alguma para a América do Norte, bem como para nossos territórios ou dos nossos aliados”.

Trata-se do primeiro lançamento de um míssil balístico norte-coreano depois de mais de 70 dias, desde o último 15 de setembro, quando Pyongyang disparou um projétil identificado pelo Pentágono como um míssil balístico de médio alcance.Além do mais, neste ano, Coreia do Norte realizou o seu sexto teste nuclear, utilizando uma bomba de hidrogênio que pode ser colocada em mísseis intercontinentais e em uma dúzia de mísseis balísticos, desafiando, assim, as normas da ONU.

Em 11 de setembro, o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade resolução que endurece as sanções contra a Coreia do Norte, particularmente no campo de hidrocarbonetos, em resposta ao seu sexto teste atômico realizado em 3 de setembro.

Comentários: