Brasília, 23 de maio de 2019 às 05:48
Selecione o Idioma:

Papo do Dia:

Internacional

Postado em 15/03/2019 8:59

Moscou: terroristas preparam encenação de ataque químico em Idlib

.

© REUTERS / Ammar Abdullah
ORIENTE MÉDIO E ÁFRICA

A Rússia está acompanhando com atenção a situação na província síria de Idlib e recebeu a informação de que o grupo terrorista Hayat Tahrir al-Sham, ligado à Frente al-Nusra (ambos proibidos na Rússia), está preparando uma encenação de ataque químico, declarou a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

“Estamos acompanhando com atenção a situação na zona de desescalada de Idlib. Os terroristas do Hayat Tahrir al-Sham, ligado à Frente al-Nusra, que operam ali, não param seus ataques provocativos contra as forças governamentais. Desde o início do ano, já foram registrados 460 incidentes desse tipo. Mais de 30 pessoas foram mortas e 100 feridas”, explicou Zakharova nesta sexta-feira (15).

Ela sublinhou que Moscou está seriamente preocupada com os relatos, segundo os quais “os combatentes do Hayat Tahrir al-Sham, com a assistência dos famigerados Capacetes Brancos, estão preparando uma nova encenação com o uso de substâncias tóxicas, para depois responsabilizar as forças governamentais sírias pela utilização de armas químicas”.

“Os terroristas estão espalhando estas munições e esconderijos nas províncias de Aleppo, Idlib, Latakia, Hama”, acrescentou Zakharova.Os EUA e seus aliados europeus acusam o governo sírio de usar armas químicas contra rebeldes armados. Damasco tem negado todas as acusações e acusa os terroristas de encenar ataques falsos para provocar uma intervenção militar do Ocidente na Síria.

Em 17 de setembro de 2018, os líderes da Rússia e Turquia, Vladimir Putin e Recep Tayyip Erdogan, assinaram na cidade russa de Sochi um memorando para resolver a situação em Idlib. O acordo estabelece uma zona desmilitarizada de 15-20 quilômetros na linha entre a oposição armada e as tropas sírias, livre de terroristas, sem armas pesadas nas mãos de adversários, controlada por tropas turcas e policiais militares russos.

Sputnik

Comentários: