Brasília, 18 de dezembro de 2018 às 11:53
Selecione o Idioma:

Especiais

Postado em 24/01/2018 2:29

‘Nação zumbi’? Norte-coreanos ‘executados’ por Kim Jong-un voltam à vida

.

© AP Photo/ Korea Pool via AP

O líder norte-coreano Kim Jong-un é famoso nos meios de comunicação ocidentais por executar pessoas que compõem o seu entorno – embora alguns pareçam ter encontrado a habilidade de retornar dos “mortos”.

Reportagens revelam regularmente os meios de execução de Kim, que vão desde o esquadrão de fuzilamento relativamente mundano até o teatro, ou mesmo o humor — como alimentar grupos de cães famintos com inimigos, ou assá-los com um lança-chamas.

A estrela do pop e “antiga amante”

A pop star norte-coreana Hyon Song-wol foi vista viva e bem na TV em 2014, apesar de ter sido executada pelo esquadrão de tiro em expurgo de cantores, músicos e dançarinos, um ano antes, segundo informes da época.

A intérprete foi supostamente mortA junto com outras 11 pessoas, incluindo membros de seu grupo, a banda Moranbong (espécie de Spice Girls do país asiático), o chefe da Orquestra de Unhasu e vários dançarinos da Wangjaesan Light Music Band.

As 12 vítimas alegadamente foram acusadas de, entre outras ofensas, terem feito filmes de sexo caseiro e venderem a filmagem.

Hyon Song-wol, com quem Kim teria sido entrelaçado romanticamente, mais recentemente apareceu publicamente no último sábado para inspecionar locais olímpicos na Coreia do Sul antes dos Jogos de Inverno.

O chefe militar

De volta a 2016, o chefe do Exército norte-coreano, Ri Yong Gil, teria sido executado por “formação de quadrilha, abuso de autoridade e corrupção”. Como com muitas informações que emanam de Pyongyang, isso não passou de uma farsa.

As autoridades de inteligência sul-coreanas pareciam levar sua remoção como chefe do Exército como confirmação de sua execução. O único problema foi que alguns meses depois, Ri Yong Gil aparentemente voltou da morte, ostentando uma série de novos cargos de alto nível, quando participou do Congresso do Partido dos Trabalhadores, em maio daquele ano.

O tio “executado por um grupo de cachorros”

Aparentemente, Kim realmente tem problemas com seus parentes mais velhos, se as reportagens da mídia ocidental fossem verídicas. Tanto assim, parece, que Kim estava disposto a executar seu próprio tio, colocando um grupo de 120 cães famintos sobre ele como parte de mais um expurgo, em 2014.

Embora pareça que Jang Song Thaek foi realmente executado, a história “difundida pela história de cães” foi uma fabricação completa que, inicialmente, foi divulgada por um site humorístico chinês.

A tia “envenenada a pedido”

Além de “alimentar cachorros com o seu tio”, como mencionado, o líder norte-coreano teria então passado seu olhar assassino em direção à sua tia, Kim Kyong-hui.

Kyong-hui, a irmã do pai de Kim (Kim Jong-il), e a esposa do tio Jang Song Thaek foram supostamente executadas por envenenamento por ordens de Kim.

No entanto, mais uma vez, tais informações revelaram-se falsas. A agência de notícias sul-coreana Yonhap informou, no ano passado, que a tia de Kim está muito viva, embora esteja sendo tratada por doenças que vão desde depressão até câncer.

Sputnik

Comentários: