Brasília, 15 de dezembro de 2018 às 03:30
Selecione o Idioma:

Brasil

Postado em 17/05/2018 12:07

Olha a tchurma do Moro! Que chic!

.

Casal Moro contempla deslumbrado o que vende o pré-sal a preço de lenha (Créditos: Vanessa Carvalho/Estadão)

Código de Ética da Magistratura? Ora, isso é uma bobagem!

A respeito do prêmio (cafona) “Person of the Year” concedido ontem em Nova York e da foto com o prefake João Agripino Doria, o Judge Murrow disse, segundo a Fel-lha:

(…) “Estou num evento social e tiro uma foto, isso não significa nada. É uma bobagem isso”, disse Moro, pouco antes de seu discurso a um grupo de empresários num hotel em frente ao Central Park. “Não me arrependo nem um minuto de aceitar esses convites”, afirmou (…)

Em Nova York, Moro participou de encontros organizados por bancos, centros de estudos e grupos empresariais, como o Lide, ligado a Doria. (…) Essa é sua terceira viagem ao país neste ano. (…)


Reprodução: Instagram/@jdoriajr

(Na porta do evento, Moro sofreu escracho bilíngue! Leia mais em “Moro não resiste a um tucano!” e assista à TV Afiada “Quem paga a diária dele no Hotel Pierre, de NY?“.)

colonista Sonia Racy, no Estadão, flagrou outros momentos importantes do tal “evento social” em NY. A tchurma presente, além do Judge, do Prefake e suas respectivas esposas, inclui banqueiros, atrizes globais, socialites, empresários e até o atual presidente golpista da Petrobrax, Pedro Malan Parente.

(Sobre a estatal, Moro declarou, em seu discurso à iniciativa privada no chiquérrimo Hotel Pierre: “estudei tanto sobre óleo e gás, por causa da Petrobras, até pensei em largar a magistratura e me empregar na área”.)

Às fotos da tchurma:


Sérgio Moro e a esposa Rosângela (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Luiz Furlan, atual chairman do LIDE (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Benjamin Steinbruch e Alexandre Bettamio (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Patricia e Ricardo Marino (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Marcos Madureira, Katia Mindlin e Sergio Rial (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Candido Bracher (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Leticia e Antonio Camarotti (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Manoel Cintra Neto, Andrea e José Olympio Pereira (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


prefake João Agripino Doria e Bia Doria (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Marcos Molina e Wilson Ferreira (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Luiza Brunet e Maythe Birman (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Dinorah Rodrigues e Carlos Alberto Vieira (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Sérgio Amaral (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Maria Alice e Michael Klein (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Joana Henning e Pedro Parente (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


Paulo Galvão (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)


José Berenguer (Créditos: Reprodução/Estadão/Amcham)

Em tempo: o amigo navegante Henri Izzy afirma que Moro rasga o Código de Ética da Magistratura (essa bobagem…) até de black tie.

Em tempo2: outro amigo navegante, André Crasoves, comenta sobre a foto de Doria e Moro com o ex-prefeito de NY, Michael Bloomberg: “a cafonice do Doria, aquela gravatinha do Moro deslumbrado, meio no colarinho, meio no pescoço. Que coisa horrível, os dois (…) ladeando Mister Elite, os dois desconjuntados, fora de esquadro. Que coisa ridícula. Moro ficou um meio termo entre Mazzaropi e Didi Mocó. São o retrato do brazil canalha (segundo o Requiãoe o Lindberghe entreguista”.


Reprodução: Facebook/João Doria

Comentários: