Brasília, 17 de outubro de 2018 às 11:37
Selecione o Idioma:

Colunistas

Postado em 30/08/2018 10:29

Os ataques contra a Petrobrás

.

Luciano Seixas Chagas (*)

A Notícia
A Petrobrás anunciou nesta terça-feira (28) que está pedindo R$ 42,1 bilhões como ressarcimento pelos atos de fraude e corrupção que sofreu nos últimos anos. Ao todo, a estatal participa em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e a União em 16 ações de improbidade administrativa. Até o momento, a soma dos pedidos de todos os processos na esfera civil é de R$ 10,9 bilhões a título de indenização e R$ 31,2 bilhões referentes à possível aplicação de multas.
Já na esfera penal, a companhia declarou que atua como assistente de acusação em 53 ações propostas pelo MPF, buscando sempre o reconhecimento da condição de vítima em relação aos crimes praticados contra os cofres da empresa. “Até o momento, já houve a condenação de vários acusados, mas apenas após o esgotamento dos recursos às instâncias superiores, a companhia estará habilitada a executar tais valores, hoje no montante aproximado de R$ 1 bilhão“, detalhou a empresa.
Até agora, os valores que já foram devolvidos à Petrobrás em decorrência de acordos de colaboração e leniência e repatriações são superiores a R$ 2,5 bilhões. A companhia acrescentou ainda que solicitou também o ressarcimento pelos prejuízos imateriais e de imagem (danos morais), que se aceitos, serão delimitados nas sentenças.

O Comentário
Quem que vai devolver? E se vai receber US$ 10 bilhões (R$ 42,1 bilhões) porque está pagando e já pagou às cortes americanas antecipadamente?
E só recebeu US$ 609,7 milhões (R$ 2,5 bilhões) e ainda restam fictícios US$ 7,8 bilhões ou R$ 31,2 bilhões (pois são valores de multas pedidas e ainda não arbitradas) dos US$ 9,39 bilhões restantes.
Espera receber de sentença prolatada e ainda em fase recursal US$ 243 milhões (R$1 bilhão)?
Grandes especulações para recebimentos de valores relativamente pífios.
Ou seja notícias com esta representam somente especulação proposital da Petrobras, diria até fake, e não sei com qual propósito. Existe algum?
O fato é que da dívida dita só entrou no seu caixa US$ 0,6 bilhões, ou 6% do valor anunciado, enquanto pagou U$2,5 bilhões, para negociar antecipadamente uma dívida nos USA, assumindo que é inocente. Vá entender?
Deve ser a magnífica engenharia financeira do senhor Pullen Parente, executada pelo senhor Ivan Monteiro, antes financeiro e agora presidente. Magnânimos “gestores” da Mírian Leitão e da mídia maior do Brasil.
Enquanto isso, ou by the way em linguagem da banca, a dívida hoje da Petrobras de US$ 88 bilhões é, ao câmbio a US$4,12, a astronômica quantia de R$ 362,56 bilhões e não há quaisquer comentários ou espanto na grande mídia sobre tal absurdo número.
No mundo real, sem os fakes passados pela Globo e grande mídia, está ocorrendo, o que já falávamos no passado, que a tal dívida antes alarmante e agora não, é facilmente pagável e que a alavancagem de 2,5 seria alcançada, como previsto, no fim de 2018 ou no máximo em 2019, mesmo com a proposital perda do market share, ocorrida, e agora minorada, que impactou negativamente o faturamento bruto da empresa, ou seja os malditos 2,5 da alavancagem seriam atingidos sem a venda de quaisquer ativos, mesmo direção da Petrobras vendendo campos de petróleo do pré-sal, que impactarão negativamente a geração de caixa no EBITDA etc., ou seja, com resultados das ações tomadas, absolutamente deletérias para a empresa.
E continuamos vendendo ativos enquanto não se apaga completamente a já tênue luz do malsinado governo Temer, o denunciado por corrupção, com todo o seu séquito de denunciados ou no mínimo de coniventes.
Interessante também é que parece normal no País Brasil um dos candidatos a presidência afirmar que ensinou os filhos, com 5 (CINCO) anos de idade, a atirar e vermos fotografias dele, com dedos em riste, apontado para outrem, numa apologia ao pretendido faroeste a ser implantado no Brasil.
Com todas e tais barbaridade as panelas permanecem mudas. Triste e lamentável!
E as procuradorias, em todos os níveis, na comarcas, entrâncias e instância, também quase sempre permanecem cegas, surdas e mudas, parecendo concordar com a barbárie ainda maior, latente, a prometida e ansiada por alguns, inclusive alguns propagadores e processadores da fé cristã e deus dos seu mandamentos, se não me engano o quinto: “Não matar”.
Oxalá não ganhe tal candidato, pois de acordo com as estatísticas atuais sobre os mortos teremos um verdadeiro genocídio, de pretos, pobres, homossexuais, minorias, todas a partes que compõem a maior parcela da população e da sociedade, ou seja, a de menor participação ou de porção ínfima no acúmulo das riquezas ou do PIB do Brasil.
E quem financia este cidadão. Alguns conhecidos empresários e industriais famosos e imbecis, todos do andar de cima, os verdadeiros proprietários da riqueza nacional. Oxalá isso não ocorra . Alea Jacta Est?
(*) Luciano Seixas Chagas, geólogo

Comentários: