Brasília, 24 de setembro de 2017 às 12:53
Selecione o Idioma:

Especiais

Postado em 04/09/2017 5:02

Para especialista, Monsanto não conseguirá provar sua inocência na morte de muitas pessoas

.

Share Button
© Sputnik/ Kaveh Rostamkhani

Monsanto, a empresa norte-americana que produz herbicida Roundup – recordista de vendas no mundo agrícola e supostamente cancerígeno – está lutando com a Organização Mundial da Saúde (OMS) pela sua reputação e pela possibilidade de não ser responsabilizada pelos danos que seus produtos já causaram.

Alexis Baden-Mayer, chefe política da Associação dos Consumidores Orgânicos, falou com a Sputnik Internacional se manifestando extremamente contra a atividade da Monsanto.
“O glifosato é o ingrediente principal do herbicida Roundup. Milhares de pessoas que trabalhavam com Roundup adoeceram com câncer. Mas esta substância também foi encontrada em quantidades perigosas na comida, em pequenas quantidades ela é capaz de perturbar o funcionamento da digestão e o sistema imunitário”, advertiu Baden-Mayer.
Grupo de abelhas está fazendo mel
© SPUTNIK/ IGOR PODGORNY
Segundo ela, a Monsanto não tem chances de superar a decisão da OMS que o Roundup é uma substância cancerígena, pois, infelizmente, os casos de contaminação falam por si próprios. O que agora a Monsanto tenta fazer é apresentar relatórios falsos que visem destruir a reputação dos cientistas honestos.
De acordo com Baden-Mayer, o grupo de especialistas da OMS já estudou os casos e encontrou a ligação entre doenças e o uso de Roundup, há vários relatórios ainda não publicados que não podem ser usados, mas quando se tornarem públicos, mostrarão novas provas que não são a favor da Monsanto.
“O que aconteceu é horrível. Pessoas estão morrendo por terem sido afetadas pelo Roundup. Mesmo na minha família. Minha avó morreu de câncer e ela usava Roundup no seu jardim de rosas. Muitas pessoas o usam quando trabalham no seu quintal ou jardim”, confessou a chefe da associação.
Além de o valor de cada vida ser inestimável, Baden-Mayer espera que a decisão do tribunal sobre indemnizações seja generosa e que a Monsanto seja punida e obrigada a pagar pelo mal que fez.
Produtos de Carne
© SPUTNIK/ ELIZABETH AZAROVA
Stephanie Seneff, pesquisadora superior do Laboratório de Inteligência Artificial no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), outra especialista entrevistada pela Sputnik Internacional, afirmou que as pessoas não se dão conta do perigo que representa o glifosato, que é tóxico para todos seres vivos e especialmente para as pessoas. As doenças que ele causa provocam uma crise da saúde pública.
O que dificulta o processo de obtenção de provas é que as doenças, especialmente o linfoma não-Hodgkin, são difíceis de detectar, pois elas podem aparecer décadas depois.
“O Glifosato é uma molécula-monstro que tem que ser proibida em todo o mundo”, afirmou a pesquisadora.

Comentários: