Brasília, 17 de dezembro de 2017 às 03:22
Selecione o Idioma:

Peru

Postado em 08/08/2016 3:59

Presidente peruano reconhece conflitos sociais como principal desafio

.

Share Button
Lima, 8 ago (Prensa Latina) O presidente peruano, Pedro Pablo Kuczynski, começa hoje sua segunda semana efetiva de trabalho com uma visita ao interior e consciente de que seu principal desafio são os conflitos sociais.
Kuczynski, que assumiu funções em 28 de julho, no início de um longo feriado pelas festas nacionais, viajará com uma comitiva ministerial às regiões de Puno e Madre de Dios, ao sul, nas quais abordará aspectos sociais.
O mandatário se reunirá com trabalhadores informais da mineração com o objetivo de legalizar e organizar suas atividades muitas vezes depredadoras da Amazônia.
As tentativas de resolver o problema enfrentaram protestos durante o governo anterior de Ollanta Humala, manifestações que tiveram participação massiva da população regional, devido à importância que a mineração informal tem ganhado para dar emprego e atividade produtiva à região amazônica afastada e pobre, na fronteira com a Bolívia e o Brasil.
Antes disso, no fim de semana, Kuczynski reconheceu que os conflitos sociais são o maior desafio para o país e obviamente para seu governo, e mencionou em particular aqueles gerados por atividades extrativistas como a mineração.
“O maior desafio do Peru hoje é evitar os conflitos, principalmente os sociais ao redor de grandes projetos como os de mineração e outros. O segundo grande desafio é o tema da segurança cidadã”, afirmou, apesar das pesquisas apontarem que a segunda é, na realidade, a maior preocupação cidadã.
Fez referência assim aos conflitos gerados por projetos mineiros, pela falta de benefícios às populações do entorno ou pelo medo que elas têm do impacto poluente dessa atividade extrativista contra a agricultura e os habitantes da região.
Esse tipo de problemas foram traduzidos em protestos reprimidos pela polícia com um saldo estimado de 50 mortos e centenas de feridos durante o governo de Humala, deixando mais de 200 conflitos sociais por resolver, segundo cifras da Defensoria do Povo.
Kuczynski adiantou que buscará viabilizar grandes projetos de mineração paralisados por esses protestos, mediante o convencimento das populações de que trarão benefícios, e também prometeu que não fará nada contra a vontade popular.
O presidente anunciou que entre os objetivos de seu governo quinquenal, pretende duplicar o número de turistas que chegam ao Peru, que em 2015 foram 3,5 milhões com tendência crescente, e estima que a atividade em 2021 pode gerar uma renda de quatro a cinco bilhões de dólares.
Mas também nesse terreno há conflitos, como o primeiro registrado sob a administração eleita recentemente, na província sul-andina de Urubamba, região de Cusco, a de maior atração turística.
A população realizou uma paralisação de 48 horas com bloqueios de vias, obstaculizando o transporte de turistas às famosas ruínas incas de pedra de Machu Picchu, em manifestação contra o aumento das tarifas de eletricidade e contra a entrega em concessão de um terreno municipal a uma empresa turística para a construção de um hotel.

Comentários: