Brasília, 18 de novembro de 2017 às 08:40
Selecione o Idioma:

Economia

Postado em 04/09/2017 5:06

Pressa dos bancos para criar moeda digital: medo de perder clientes ou garantir confiança?

.

Share Button
© Sputnik/ Vladimir Astapkovich

Seis dos maiores bancos mundiais se juntaram para criação de uma nova forma de moeda digital.

Entidades, incluindo Barclays e Credit Suisse, vão trabalhar juntas na criação da assim chamada “moeda de liquidação de utilidade”, criada pelo grande banco suíço UBS, para fazer com que mercado financeiro se torne mais efetivo.

A nova criptomoeda terá como objetivo permitir a compensação e liquidação de transações financeiras globais em relação à tecnologia de blockchain.

“O conceito da criptomoeda não necessariamente significa excluir bancos; é um sistema que permite realizar transações na ausência de confiança entre parceiros de negócio”, disse em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, Vin Armani, especialista em criptomoedas, empresário técnico e apresentador.

“Na situação financeira atual, para nos sentirmos confiantes, nós, em sua maior parte, confiamos nos bancos para que proveja a terceira parte de confiança intermediária”, destacou.

Quando foi pedido para explicar o interesse dos bancos em blockchain e em moeda digital, ele frisou que sem bancos, que realizam a função de intermediário centralizado de confiança, seria mais difícil para os governos se aproveitarem dos bens de pessoas que são consideradas por eles como criminosas ou de alguém que não está em dias com os impostos.

O mesmo é cabido aos titulares independentes de contas bancárias.

“Como resultado, seria muito dificílimo congelar uma conta bancária devido a sanções quando não há bancos envolvidos na transação. É por isso que os governos buscam uma criptomoeda que não tiraria tanto o poder deles. É por isso que os bancos estão tentando criar uma única criptomoeda que os colocaria na mesma posição de autoridade confiável. Eu não acho que isso funcione a longo prazo, mas eles devem tentar pelo menos”, acrescentou Vin Armani.

Quando o especialista foi perguntado como esse novo sistema difere das criptomoedas existentes, tais como bitcoin, ele respondeu que enquanto o bitcoin fornece um motor sem confiança para milhões e bilhões de pessoas, esse sistema particular envolve apenas cerce de uma dúzia de participantes.

“Todos estes participantes possuem um nível alto de confiança entre si. Eles estão apenas colocando uma camada de liquidação sobre o sistema existente que está funcionando muito bem”, destacou Armani.

Ele acrescentou que o bitcoin será uma revolução mundial, algo que será usado por todos diariamente.

Vários países agora querem começar a utilizar bitcoins a nível industrial. Ele afirmou que isso faz muito sentido.

“Isso certamente abrange a eletricidade, o principal recurso necessário para a mineração de bitcoins, e os países podem vir a ter grandes descontos em eletricidade”, disse Vin Armani.

“Podemos perceber uma corrida armamentista entre Estados, mas isso afeta pouquíssimo os usuários do dia a dia”, concluiu o especialista.

Os bancos esperam lançar a nova criptomoeda já no ano que vem.

Comentários: