Brasília, 20 de março de 2019 às 14:16
Selecione o Idioma:

Brasil

Postado em 18/02/2019 7:26

Saturnino: esses golpistas vão em cana!

.

Bebianno tem que contar o que quer esconder

Correio” de Saturnino Braga:

Chantagem

Numa quinta-feira o Presidente chama, publicamente, o Ministro de mentiroso. Qualquer ministro portador de dignidade demitir-se-ia no momento.

O ministro, porém, não apenas não se demitiu como afirmou, na sexta, que não seria demitido, pois que, se o fosse, traria junto na sua queda o próprio Presidente, revelando coisas que inexoravelmente derrubariam também o seu chefe.

E o ministro não foi demitido.

Dizem que o será na segunda-feira.

Será mesmo?

Nunca houve isto na História do Brasil.

Pesquisadores em campo, com empenho, dificilmente encontrarão acontecimento semelhante na história de outro país qualquer.

E o senso comum, que conhece as relações humanas no cotidiano, que já escutou e acata o adágio popular “manda quem pode, obedece quem tem juízo”, o senso comum pensa: o verdadeiro Presidente é o ministro, que sabe das coisas.

Que coisas?

Coisas da campanha, da qual ele, o ministro, foi o coordenador financeiro.

O Coordenador Financeiro!

Mas que coisas são estas? Todos se perguntam.

Bem, o Ministro é cidadão brasileiro, sujeito às leis do País, tem obrigação de dizer, revelar ao público estas coisas feitas, feias com certeza, capazes de derrubar o Presidente.

Mas como ele é ministro, e o ministro mais poderoso, mais próximo ao Presidente, com gabinete no Palácio ao lado da sala do Presidente; e, como já se viu, ele tem mais poder do que o próprio Presidente, ele não vai falar, não vai contar nada.

E tudo continua como dantes no quartel de Abrantes.

Como diria Lula, nunca antes se viu disto na História do Brasil.

Mas o Lula continua preso porque o Governo treme só ao escutar o nome de Lula. O Moro, mudo, empalidece. E liga para Washington para saber o que fazer no caso Bebiano.

É o Brasil de Bolsonaro.

O Brasil do laranjal.

O Brasil do massacre no morro Fallet. Aplaudido pelo Governador do Rio de Janeiro cujo nome ninguém sabe.

O Brasil do segurança do supermercado Extra que estrangulou um menino negro para certificar-se de que havia aprendido bem o Mata-Leão, o golpe fatal de jiujitsu.

O Brasil do Ministro do Meio Ambiente que não sabe quem foi Chico Mendes.

O Brasil da Ministra das Mulheres que diz que toda mãe devia mandar o filho para fora do País.

É o Brasil de hoje, que não será, com certeza não será o Brasil de amanhã, que fará justiça e porá na cadeia todos estes golpistas sem-vergonhas de hoje.

Viva o Brasil de amanhã!

Comentários: