Brasília, 20 de setembro de 2017 às 08:04
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 08/07/2017 8:35

Sistema neoliberal coloca trabalhadores uns contra os outros, diz Noam Chomsky

.

Share Button
Chomsky criticou neoliberalismo dos EUA e afirmou que “estamos caminhando para um precipício” / Reprodução Youtube / RT

Intelectual criticou Partido Republicano e comentou a retirada dos Estados Unidos do Acordo de Paris por Trump

Em entrevista à rede de televisão russa RT e transmitida neste domingo (02), o intelectual norte-americano Noam Chomsky criticou o neoliberalismo e afirmou que o sistema coloca os trabalhadores “uns contra os outros”.
“O neoliberalismo vem colocando os trabalhadores do mundo em competição uns contra os outros, mas permitindo a liberdade do capital e, de fato, um alto grau de proteção para o capital”, afirmou o linguista, filósofo e historiador de 88 anos.
Professor emérito do MIT (Massachusets Institute of Technology) e crítico constante do governo de Donald Trump, Chomsky afirmou que “estamos nos dirigindo a um precipício e o pior desses precipícios é condicionado pelos sistemas de mercado”. Para o intelectual, “a mudança neoliberal moveu as decisões da esfera pública ao mercado”.
Chomsky ainda criticou o partido político de Trump afirmando que os republicanos têm se dedicado a destruir a vida humana: “a posição da ala selvagem do capitalismo norte-americano, o Partido Republicano, é realmente impressionante, eles estão realmente correndo em direção a um precipício”, disse o intelectual, questionando se “houve realmente uma organização na história que se dedicou em destruir a vida humana?”.
“Se você é um crítico da política [dos EUA], você é antiamericano”, disse o acadêmico sobre como são vistos aqueles que se opõem ao governo no país. “Além dos EUA, eu não conheço nenhum outro país não-totalitário, não-autoritário, onde esse conceito exista”, afirmou Chomsky, que se considera socialista.
Além de se posicionar contra medidas tomadas pelo governo de Donald Trump, o intelectual se diz preocupado com as mudanças climáticas e com a saída dos EUA do Acordo de Paris. “Os EUA estão correndo em direção ao precipício, enquanto o mundo está tentando fazer alguma coisa [contra o aquecimento global”, afirmou.
Edição: Opera Mundi

Comentários: