Brasília, 16 de dezembro de 2017 às 18:50
Selecione o Idioma:

Economia

Postado em 20/06/2016 10:07

Uma abordagem empírica: Quinze fatos sobre a implosão da economia dos Estados Unidos – a mídia de referência não quer mostrar

.

Share Button

 

por Michael Snyder [*]


Você está prestes a ver provas inegáveis de que a economia dos EUA tem estado a desacelerar desde há algum tempo.
E é vital que nos concentremos nos factos, porque por toda a Internet encontram-se montes de factos e montes de pessoas que têm opiniões do que está a acontecer com a economia. E naturalmente os media de referência estão sempre a tentar virar as coisas para fazer com que Barack Obama e Hillary Clinton pareçam bons, porque os que neles trabalham são muito mais liberais do que o conjunto da população americana. É verdade que também tenho as minhas próprias opiniões, mas como promotor público aprendi que opiniões não são boas a menos que haja factos para apoiá-las. Assim, dê-me por favor alguns momentos para partilhar consigo evidências que demonstram claramente que já entrámos numa grande desaceleração económica (economic slowdown) . A seguir, 15 factos acerca da implosão da economia estado-unidense que os media de referência não querem que você veja…

1. A produção industrial neste momento declina há nove meses seguidos .Nunca vimos isto acontecer fora de uma recessão em toda a história dos EUA.

2. As bancarrotas comerciais dos EUA ascenderam num ano, em base anual, durante sete meses seguidos e agora subiram 51 por cento em relação a Setembro.

3. A taxa de incumprimento (delinquency) em empréstimos comerciais e industriais tem estado a ascender desde Janeiro de 2015 .

4. As vendas totais dos negócios nos EUA têm estado a cair constantemente desde meados de 2014 . Não, eu não disse 2015. As vendas totais estiveram em declínio durante aproximadamente dois anos e acabámos de descobrir que elas caíram outra vez…

As vendas totais nos EUA no mês de Abril comportaram-se tal como vinha ocorrendo desde Julho de 2014: elas caíram:   -2,9% em relação há um ano atrás, para US$1,28 milhão de milhões (não corrigido de diferenças sazonais e variações de preços), informou quinta-feira o Censuses Bureau. É onde estavam as vendas em Abril de 2013!

5. Encomendas a fábricas dos EUA estiveram a cair durante 18 meses seguidos .

6. O índice Cass Shipping Index tem estado a cair durante 14 meses consecutivos .

7. A produção de carvão dos EUA caiu para o seu mais baixo nível em 35 anos .

8. O Goldman Sachs tem o seu próprio rastreador interno da economia dos EUA e ele caiu para o mais baixo nível desde a última recessão .

9. Os “indicadores de recessão” do JPMorgan ascenderam ao mais alto nível já visto desde a última recessão .

10. Tanto as receitas fiscais federais como as dos estados habitualmente começam a cair quando entramos numa nova recessão e isso é precisamente o que está a verificar-se exactamente agora .

11. O índice Labor Market Conditions do Federal Reserve tem estado a cair durante cinco meses seguidos .

12. Os números do emprego que o governo divulgou no mês passado foram os piores que já vimos em seis anos .

13. Segundo [a empresa] Challenger, Gray & Christmas , anúncios de despedimentos colectivos em grandes firmas estão a ser 24 por cento mais altos este ano do que no mesmo período do ano passado.

14. Mensagens online de empregos na rede de negócios do sítio Linkedin têm estado a declinar constantemente desde Fevereiro , após 73 meses seguidos de crescimento .

15. O número de trabalhadores temporários nos Estados Unidos atingiu o pico e começou a cair precipitadamente antes mesmo de a recessão de 2001 ter começado. Exactamente a mesma coisa aconteceu pouco antes do começo da recessão de 2008. Assim, seria uma surpresa saber que o número de trabalhadores temporários nos EUA atingiu o pico em Dezembro e tem caído dramaticamente desde então ?

Ontem soubemos que duas das nossas maiores corporações efectuarão despedimentos colectivos de ainda mais trabalhadores. O Bank of America, o qual possui mais do nosso dinheiro do que qualquer outro banco no país, anunciou que vai cortar cerca de mais 8000 trabalhadores…

Espera-se que o Bank of America reduza pessoal na sua divisão de consumidores em mais 8000 empregos.
O maior banco de retalho do país, em depósitos, já reduziu o pessoal da sua divisão de consumidores de mais de 100 mil em 2009 para cerca de 68.400 no fim do primeiro trimestre de 2016, disse quinta-feira Thong Nguyen, presidente da banca de retalho do Bank of America e igualmente presidente da banca do consumidor, na conferência do Morgan Stanley Financials .

E a Wal-Mart anunciou que vai eliminar “empregos de contabilidade back-office” em aproximadamente 500 localidades…

A Walmart vai cortar empregos de contabilidade back-office em cerca de 500 lojas numa tentativa de se tornar mais eficiente.

Os empregos cortados serão principalmente em lojas no Oeste e envolverão trabalhadores da contabilidade e facturação, disse o porta-voz Kory Lundberg. Em alternativa, funções contabilísticas serão transferidas para a sede da Walmarte em Bentonville, Ark. O papel-moeda nas lojas será contado por máquinas.

Dia após dia ouvimos notícias acerca de despedimentos colectivos como estes. Então, por que isto estaria a acontecer se a economia dos EUA estava em “modo recuperação”?

Mesmo com os números agora muito manipulados do PIB, Barack Obama está em vias de se tornar o único presidente em toda a história dos EUA a nunca ter tido um único ano com a economia a crescer pelo menos em 3 por cento. A verdade é que a nossa economia tem estado presa no atoleiro mesmo após o fim da última recessão – e agora uma nova grande retracção evidentemente já começou.

E quer saber quem mais percebe isto?

Os investidores estrangeiros percebem.

No mês passado, investidores estrangeiros desfizeram-se de dívida estado-unidense ao ritmo mais rápido alguma vez já registado…

Investidores estrangeiros venderam um montante recorde de títulos e notas do Tesouro dos EUA durante o mês de Abril,segundo dados divulgados quarta-feira pelo Departamento do Tesouro, pois investidores esperam mais alguns aumentos de taxas do Federal Reserve neste ano.

Estrangeiros venderam US$74,6 mil milhões em dívida do US Treasury neste mês, após compras de US23,6 mil milhões em Março. A saída de Abril foi a maior desde que o US Treasury Department começou a registar transacções de dívidas do Tesouro em Janeiro de 1978.

Não há que debater nem mais um minuto – a próxima crise económica já está aqui. Isto é tão amplamente óbvio nesta altura que mesmo George Soros tem estado febrilmente a descarregar acções e a comprar ouro .

Podemos discutir se a economia dos EUA começou a enfraquecer no fim de 2015, no princípio de 2015 ou no fim de 2014 e é bom fazer tais debates.

Mas afinal de contas, o que é muito mais importante é o que está pela frente. Felizmente, nosso declínio tem sido razoavelmente gradual até agora e tenhamos esperança de que assim permaneça por tanto tempo quanto possível.

Em grande parte do resto do mundo, as coisas já estão em pleno modo pânico. A Venezuela, por exemplo, era o país mais rico da América do Sul, mas agora o povo está literalmente a caçar gatos e cães para comer . [NR]

Na ausência de um grande “acontecimento cisne negro” de alguma espécie, não veremos o que está a acontecer nos Estados Unidos durante pelo menos algum tempo, mas sem dúvida estamos a resvalar rumo a uma grande depressão económica.

Infelizmente para todos, nada do que os nossos políticos possam fazer poderá travar isto.

15/Junho/2016

[NR] O autor esquece de dizer que a desestabilização da Venezuela está a ser deliberadamente provocada pelo imperialismo, com o apoio da reacção interna.   Ver Guerra não convencional contra a Venezuela .

[*] Fundador e editor de The Economic Collapse.

O original encontra-se em theeconomiccollapseblog.com/…

Este artigo encontra-se em http://resistir.info

 

Comentários: