Brasília, 23 de maio de 2019 às 23:56
Selecione o Idioma:

Papo do Dia:

Internacional

Postado em 24/04/2019 8:41

Universidade chinesa testa foguete supersônico (FOTOS, VÍDEO)

.

© REUTERS / Michael Berrigan
CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Universidade de Xiamen chinesa testou um foguete hipersônico construído na mesma universidade, se tornando a primeira entidade desse tipo no mundo a projetar e lançar um foguete capaz de superar a velocidade de Mach 5.

Os pesquisadores da Universidade de Xiamen, situada na província de Fujian, realizaram um voo de teste de um foguete hipersônico no deserto de Gobi em 23 de abril, informou a universidade, citada pelo jornal South China Morning Post.

A equipe batizou o foguete Jiageng-1, em homenagem a Chen Jiageng, também conhecido como Tan Kah Kee, um filantropo chinês que fundou a Universidade de Xiamen em 1921.

O desenvolvimento do foguete começou em 2008. O projeto foi parcialmente financiado pelo Exército da China.

Vídeo incorporado

O Jiageng-I tem um comprimento de 8,7 metros, envergadura de 2,5 metros e uma massa à decolagem de 3.700 quilogramas. O foguete reutilizável viajou a uma altitude máxima de 26,2 quilômetros e foi recuperado no lugar de aterrissagem previsto, informou a agência Xinhua.

“Chamamos [o design] de waverider duplo”, disse Zhu Chengxiang, professor assistente da universidade e membro da equipe que trabalhou no projeto.Em comparação com outros veículos hipersônicos experimentais, como o X-51 Waverider da Boeing que voa em uma camada de gás extremamente quente, chamada “onda de choque”, o Jiageng-1 voa em duas camadas de ondas de choque – uma por baixo da barriga e outra no duto de entrada de ar para seu motor ramjet.

Essa inovação pode fazer a transição de velocidades supersônicas a hipersônicas mais suavemente, criar mais sustentação e permitir ao veículo voar a maiores distâncias usando menos combustível.

O projeto tem como objetivo tentar quintuplicar a velocidade atual dos aviões civis para chegar a qualquer parte do mundo em duas horas. Este teste é “um marco importante para atingir o objetivo final do projeto”, sublinhou a universidade em sua conta oficial de WeChat, uma plataforma de mensagens instantâneas chinesa.

Comentários: