Brasília, 19 de novembro de 2017 às 09:03
Selecione o Idioma:

Venezuela

Postado em 27/08/2017 10:04

Venezuela rechaça sanções anunciadas pelo governo dos Estados Unidos

.

Share Button
Caracas,  AVN.- O Ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, manifestou nesta sexta-feira o rechaço do governo venezuelano à ordem executiva emitida pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que proíbe todos seus parceiros comerciais e financeiros e empresas estadunidenses ou com capital nos EUA realizar qualquer acordo ou transação com Petróleos de Venezuela (Pdvsa).
Na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, Arreaza assegurou que a imposição de sanções contra a nação caribenha corresponde a “uma política não civilizada e de agressão que transgride a soberania da Venezuela”.
“Nossa gente vai se mante unida e firme e mediante a diplomacia e qualquer outro meio vamos defender e proteger nosso povo. A Venezuela deve ser respeitada e qualquer país do mundo deve saber que o povo venezuelano é livre e que os princípios do direito internacional devem ser respeitados por parte de qualquer governo”, disse em uma transmissão de Venezolana de Televisión.
O chanceler destacou que o governo bolivariano vai avaliar as medidas necessárias para que as sanções afetem o menos possível a população.
Arreaza assegurou que o diálogo com a oposição venezuelana e o governo dos Estados Unidos tem sido incentivado na Venezuela para a resolução dos conflitos políticos e acrescentou que as sanções financeiras e militares afetam o povo venezuelano.
“Os Estados Unidos não podem intervir nos assuntos internos da Venezuela, as ameaças a esta nação não são contra um indivídulo mas contra um povo”, disse.
Ele informou que foram realizados encontros com chanceleres da região que, embora tenham diferenças com o governo venezuelano, estão conscientes dos ataques sistemáticos contra a nação.
@vencancilleria

Comentários: